Sem Sentidos

A tua saudade me atordoa…
Meu corpo reclama, o tempo todo, pelo seu.
Minhas mãos tateam o vento, na busca vã pela tua pele.
Meus olhos, fitam ao redor…. incrédulos de não te ver…
Meus ouvidos, garimpam no silêncio, ou entre os barulhos da rua, um sinal que seja, da tua voz
De olhos fechados, procuro à todo custo pelo teu cheiro….
E a minha boca, ante a perplexidade de não te ter, busca, em meio à minha saliva, algum resquício do teu gosto…

Volta logo… Para que os meus sentidos tenham sentido!