Palavras

E quando as letras não se combinam o suficiente
para o que a gente tem a dizer?
e quando a alma suplanta o verbo?
o que se há de fazer?

Anúncios

Injustiça

A segunda-feira tem sempre aquele ar de “volta à rotina”, recomeço das obrigações e “estraga-prazeres” do final de semana. Particularmente, acho ela bastante injustiçada. Começar uma nova semana sempre é uma chance de recomeço, de melhorar, de avançar ou de reparar. A chance renovada de uma semana melhor.

Se sua semana e feita de uma rotina repetitiva, a culpa não é dela (da segunda), é sua. Planeje, almeje, sonhe, construa… Viva uma vida de objetivos, desenvolvimento e conquistas, não uma vida de rotina monótona. Ou faça com que sua “rotina”‘ seja exatamente essa: evoluir sempre.

A primeira segunda-feira do ano, então, carrega em si essa sensação potencializada. É o dia perfeito para o início, para o recomeço, para o salto, para o sonho, para a busca incessante pela vida.

Seja bem-vinda então,  a cada semana, sagrada segunda-feira! E carregue sempre contigo essa menina mágica, chamada  esperança!

Nudez

Sempre fui um pouco “voyeur”… Não sei se por isso, ou pelo verdadeiro encantamento que sempre tive pelo corpo feminino, me decepciono muito com a “nudez fabricada” de hoje em dia… Pelo menos essa que aparece nas revistas, ou na mídia em geral. De artimanhas do Photoshop aos tratamentos estéticos, cirúrgicos, implantes, e etc, a nudez feminina parece que deixou de ser uma revelação, uma entrega, uma descoberta. A imagem da mulher nua, de hoje, “se veste” de tantos artifícios, cuidadosamente planejados, que a sensação que me dá é de que nunca estão despidas…

Nudez de verdade tem que ser aquela que revela… Aquela que permite ser visível o mais íntimo de cada um. Com a beleza particular e única de cada indivíduo. E todas as suas imperfeições.

O Beijo

“Não damos importância ao beijo na boca. E, no entanto,
o verdadeiro defloramento é o primeiro beijo na boca.
A verdadeira posse é o beijo na boca, e repito:
– é o beijo na boca que faz do casal o ser único, definitivo.
Tudo mais é tão secundário, tão frágil, tão irreal.”

(Nelson Rodrigues)

Tão banalizado nos dias de hoje, o beijo na boca parece que deixou de ser o símbolo maior de união, aproximação e intimidade entre duas pessoas… Beija-se qualquer um, em qualquer lugar, por qualquer motivo. Eu não… Ainda bem que sou “das antigas”. Beijo na boca, para mim, é coisa séria! Tem que ser desejado… Tem que ser merecido…

Até as putas, que se entregam sem pudores por qulaquer dinheiro, fazem de tudo… Mas beijo  na boca, não!! Isso não tem dinheiro que pague…

 

Adulação

“A baixeza mais vergonhosa é a adulação”
– Francis Bacon

“Puxar o saco” ou “Babar ovo” é algo realmente vergonhoso…
E se tornou comum, nos últimos tempos um tipo diferente de adulação. Não aquela destinada a obter algum tipo de vantagem ou benefício, mas uma espécie de “pacto” entre alguns, à serviço da pobreza de espírito de cada um. Uma coisa do tipo: “eu te adulo e você me adula. Assim ambos acreditamos que somos legais.” (Por vezes se manifesta também entre pequenos círculos de amigos ou pequenos grupos).

Em tempos de Facebook, redes sociais e exposição generalizada, isso tem ficado cada vez mais visível…

Da Sinceridade

Acho engraçado essas pessoas com ar superior, que enchem a boca para dizer “eu sou sincero e sempre digo o que penso”, como se isso fosse a maior das virtudes…
(Nem tenho certeza mesmo se chega a ser  uma virtude!)

É claro que lidar com alguém transparente e honesto é muito melhor. O problema da frase anterior é o “sempre”, pois nem sempre estamos interessados ou preparados para o que o outro pensa. E acho mesmo que muitas das opiniões “sinceras” deveriam ficar guardadas com cada um. Ainda mais quando não são solicitadas.

Não acho a sinceridade a maior das virtudes, o que não quer dizer que não a considere fundamental. Acho, apenas, antes dela, o respeito e o cuidado com o outro, muito mais importantes. Até porquê, nossa verdade não necessariamente é a única verdade.

Saber olhar para o outro e entender a sua real necessidade, que pode ser ouvir, ou apenas falar, desabafar, receber um abraço, um afago, ou até mesmo uma palavra amiga, que aplaque a dor momentânea, isso sim, ao meu ver, é uma das maiores (e mais difíceis) virtudes.

Questão de Preferência

Gosto de pessoas raras.
Pessoas que quando cruzam o nosso caminho, independente do tempo que duram, pela intensidade com que passam, transformam a nossa vida.
Gosto de quem tem olhar inquietante, de quem não se conforma.
Gosto de quem questiona, de quem ousa, de quem arrisca.
Gosto de quem é simples, de quem é leve e de riso fácil.
Gosto de quem ama, de quem vibra, de quem sofre, de quem chora.
Gosto de quem vive.
Gosto de poetas, de músicos, atores, pintores, escultores, dançarinos,
Gosto de artistas… Gosto de bêbados e de loucos.
Gosto de quem nao é comum.

O problema de gostar das poessoas raras, é que elas são… RARAS!

Distração

Uma coisa que sempre me intriga muito são essas placas, obrigatórias por lei, na porta dos elevadores: “antes de entrar no elevador, por favor verifique se o mesmo encontra-se parado neste andar”.
Ora, francamente… Se alguém é imbecil o suficiente para abrir a porta e entrar, sem perceber que o elevador não está lá, como podem imaginar que perceberia a plaquinha?!

Relatividade

Einsten já provou cientificamente aquilo que, intuitivamente, eu já sabia: a verdade é relativa.
Muitos dos maiores conflitos e dilemas da humanidade, sejam eles políticos, sociais, filosóficos, religiosos ou amorosos, vem do fato de cada parte querer impor à outra a sua (legítima, porém não exclusiva) verdade.