Solidão

A solidão da noite me corta
Me entorta, me rasga
O silêncio da noite me oprime
Me fere, me cala
O escuro da noite me assusta
Me abala, deprime
O frio da noite me gela
me seca, devasta
A noite, tantas vezes amiga,
Justo ela, tantas vezes sublime,
Hoje me fere, me afoga, me mata
hoje,
É só crime

Caminhos

A falsidade é uma das caracterísiticas mais tristes e deprimentes do ser humano..
A ingenuidade, uma das mais perigosas…
Quando se encontram pelo mundo, os dois, o falso e o ingênuo, é sempre o segundo,  quem leva a pior…
Pelo menos em tese.
Mas será mesmo…?
Levaria essa escolha, a de acreditar sempre, a um abismo maior do que a outra, a de enganar sempre?
Já vi muita gente cair e se machucar feio, por ser do primeiro tipo. Mas justamente por serem assim, nunca estão sozinhos… Há sempre um ombro amigo, um afago, um olhar carinhoso, um braço amigo ajudando a levantar.
Já os falsos, que enganam, mentem, traem ou trapaceam, esses um dia, em algum momento, também caem. E, mais do que o dano da queda, acabam amargando a dor pior da solidão.