Recado

Numa dessas manhãs, em meio ao caos da cidade, e minhas tantas obrigações, me permiti parar por um instante, para um café, em frente a um jardim, acompanhado da, sempre deliciosa, leitura de Mário Quintana…
Entre um poema e outro, que falavam de meninos, de pássaros e de lua, num suspiro (de olhos fechados), sinto o vento gelado e gostoso da manhã me tocando a face, como que a dizer: “veja como a felicidade pode estar nos detalhes, nas coisas simples”…

Em tempos de angústias, e buscas de todos nós, por grandes feitos e conquistas, entendi, e agradeci comovido, o recado dos anjos…

Anjo I

Ontem conheci um Anjo
De róseos lábios e olhos claros
E a pele branca como uma nuvem…
Trocamos poucas palavras
Mas me tocou o coração
E quando se foi,
Tá rápido quanto surgiu,
Deixou em mim aquele espanto
E aquela estranha vontade de voar…